quarta-feira, 27 de maio de 2015

TEXTO DE APOIO - A I GUERRA MUNDIAL

Em 1914 eclodiu na Europa uma guerra sem precedentes. Devido ao grande desenvolvimento tecnológico ocorrido no decorrer da Segunda Revolução Industrial, o poder das novas armas era tão destrutivo que os combates resultaram em massacres nunca antes vistos. Conhecida como Grande Guerra e posteriormente denominada de I Guerra Mundial, esse conflito foi consequência principalmente da disputa das potências imperialistas.
                Na segunda metade do século XIX reinava na Europa a política do equilíbrio de poder, que visava evitar que um país se se fortalece ao ponto de conseguir enfrentar não apenas um, mas uma coligação de países. Porém, no final do século, com o acirramento entre as potências imperialistas, esta política era mais aparente do que real. As disputas imperialistas pelo controle de territórios coloniais acirrou-se devido à necessidade desses países em garantir matéria-prima para as suas indústrias. Além disso, o crescimento industrial acarretou crises de superprodução, o que tornava necessário a busca de novos mercados consumidores para os produtos dos países industrializados.  O desenvolvimento industrial e econômico da Alemanha levou este país a exercer uma forte concorrência com a Inglaterra. Esse crescimento que também era militar desagradou as demais potências europeias. Além disso, duas nações não europeias, o Japão e os EUA avançaram no caminho imperialista em suas respectivas áreas de influencia: Ásia e América. O avanço tecnológico militar, que acompanhava o desenvolvimento industrial, teve grande avanço entre os anos de 1880 e o inicio do século XX. As fronteiras tornaram-se áreas militarizadas e foram criados armamentos cada vez mais mortíferos (fuzis, metralhadoras, lança-chamas, gás venenoso, artilharia pesada e submarinos). Desse modo, configurou-se a chamada “paz armada”, em que as potencias realizaram uma intensa corrida armamentista.
Esse militarismo estava apoiado no crescimento do sentimento nacionalista. Na região dos Bálcãs, dominada pelos impérios Turco-Otomano e Austro-húngaro, o sentimento nacionalista manifestou-se de forma violenta. Minorias nacionais lutavam por sua independência. Os sérvios aspiravam criar a grande Sérvia, por meio da união dos povos eslavos. Essa politica denominada depan-eslavismo tinha apoio da Rússia que se considerava líder dos povos eslavos e tinha o interesse de controlar as saídas para o mar Mediterrâneo nos estreitos de Bósforo e Dardanelos. Na Alemanha, o nacionalismo girava em torno do pangermanismo, ideia de unir os povos germânicos em um poderoso e extenso império alemão. Na França, as ideias nacionalistas eram alimentadas pelo sentimento de vingança, o revanchismo francês, marcado pelo desejo de retomar a região da Alsácia Lorena perdida para os alemães durante a Guerra Franco-Prussiana.
Em meio a essas disputas e rivalidades, as potencias europeias fizeram alianças para tentar assegurar suas defesas. Em 1892, a Alemanha, o império Austro-húngaro e a Itália formaram a Tríplice Aliança, também conhecida como Impérios Centrais. Em resposta, em 1907, Inglaterra, França e Rússia formam a Tríplice Entente, também denominada de aliados. Essas alianças intensificaram o militarismo e reforçaram as propostas nacionalistas. Como as principais potencias estavam unidas por tratados de ajuda mutua, qualquer incidente poderia desencadear um conflito armado. Foi o que aconteceu. Em junho de 1914, o herdeiro do trono austro-húngaro Francisco Ferdinando foi assassinado por um estudante extremista sérvio em Sarajevo. Acusando a Sérvia de estar ligada ao atentado, o império austro-húngaro declara guerra a Sérvia. A Rússia sai em defesa dos sérvios e a Alemanha em defesa dos austro-húngaros acionando o sistema de alianças. Era o início da Grande Guerra.
Iniciado o conflito, podemos dividi-los em três fases. A primeira fase chamada de Guerra de Movimento foi caracterizada pela movimentação  ofensiva das tropas alemãs. A segunda fase denominada de Guerra de Posição foi marcada pelo estabelecimento das tropas em trincheiras, tornando as batalhas mais estáticas e equilibradas. O ano de 1917 é fundamental para o destino do conflito. Apesar da saída da Rússia do conflito, em abril de 1917 devido a ataques de submarinos alemães contra navios estadunidenses, estes entram na I Guerra Mundial ao lado dos aliados. A entrada dos EUA foi decisiva para a definição da guerra, pois ao enviar para a Europa grande quantidade de armas e soldados, além de recursos financeiros, provocou um desequilíbrio de forças a favor da Entente. Assim, configurou-se a ultima etapa da guerra, caracterizada por novas movimentações de tropas, dessa vez dos aliados e pelas batalhas finais. A entrada dos EUA no conflito não esta somente ligada ao ataque dos alemães aos seus navios, por trás da decisão de participar estavam os interesses econômicos, pois o país havia emprestado bilhões de dólares aos aliados; e estes, não podiam perder a guerra.
A partir de agosto de 1918, a Tríplice Aliança não oferecia mais resistência à superioridade das tropas aliadas. No dia 11 de novembro de 1918, assinaram um armistício e se renderam. Em 1919, representante dos países vitoriosos e da Alemanha assinaram o Tratado de Versalhes que estabeleceu um novo mapa politica para a Europa, além de punições aos países derrotados. A Alemanha foi duramente penalizada, pois foi considerada a principal culpada pelo conflito. O país teve que reduzir seu exército e a produção armamentista, além de pagar indenizações. O tratado também estabeleceu a criação da Liga das Nações, uma organização internacional voltada para a manutenção da paz. A I Guerra Mundial causou a morte de cerca de 10 milhões de pessoas, principalmente  homens jovens e deixou 20 milhões de feridos, muitos deles inválidos; algo jamais visto até então. Além disso, varias regiões da Europa estavam destruídas. Entretanto, a maior consequência geopolítica gerada por esse grande conflito foi o enfraquecimento das potencias europeias e a emergência de uma nova potencia global, tanto econômica como politica: os Estados Unidos.